Mostrar mensagens com a etiqueta B.E.M. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta B.E.M. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Bispo Edir Macedo realiza palestra com líderes evangélicos


Por Núbia Onara / Fotos: Demetrio Koch
Neste sábado, 17 de novembro, às 10h, aconteceu no salão nobre do Templo de Salomão o Congresso Renovação – projeto da Universal que reúne líderes evangélicos de diferentes denominações.  A palestra o “Avanço das igrejas” foi realizada pelo Bispo Edir Macedo, que trouxe, como ele mesmo ressaltou, uma das maiores revelações que Deus deu ao ser humano e que tem se renovado a cada dia: o sacrifício.
O Bispo lembrou que não há nenhuma conquista, principalmente a da Salvação, se não for de modo sacrificial, e que muitas igrejas têm se deixado enganar pela diabólica doutrina de que “se Jesus já fez o sacrifício, ninguém precisa mais fazê-lo”.
“O sacrifício é o caminho para alcançarmos a justiça de Deus, e isso tem que ser feito 24 horas por dia”, alertou o Bispo.
Outro aspecto importante citado pelo Bispo é o fato de muitos homens e mulheres, que se dizem de Deus, estarem abandonando a fé. Isso se dá porque pararam de se sacrificar no Altar de Deus e passaram a focar no ouro. Como consequência, se cansaram. “Mas quem está no Espírito, no Altar, não se cansa”, destacou.

Testemunha de Deus
Deus fez um alto investimento pela humanidade. O sacrifício do Senhor Jesus era Deus dizendo “estou dando o Meu melhor para vocês”. E não só isso, a Bíblia relata que no Dia do Juízo Deus vai apresentá-lO como Sua testemunha.
“E ao anjo da igreja de Laodiceia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus” Apocalipse 3.14
“O Pai nos tem dado o Espírito sem medida, o que você acha que Ele vai exigir? Ele não quer só 90% da sua vida. É tudo por tudo”, destacou o Bispo, que aproveitou para lembrar aos presentes que a igreja  sempre vai ser o reflexo do seu pastor. “A sua igreja é o seu reflexo. Se você cresce espiritualmente, o seu povo também cresce. O contrário também é verdadeiro. O povo representa Deus. Do jeito que você se dá para o povo, é o jeito que se dá para Deus. Se a sua igreja não cresce, é porque a sua oferta para o povo não é agradável”, concluiu.
O Bispo deixou claro também que seu maior interesse é que todas as igrejas evangélicas cresçam. “O Reino de Deus não é nosso. Estamos trabalhando para o Senhor Jesus. O que me importa é que ganhemos almas”, finalizou.
O presbítero Joelson Gonçalves (47) e sua esposa, pastora Débora (40), da igreja Assembleia de Deus Nova Geração, de Carapicuíba (SP), reconhecem que, sem dúvida, a mensagem sobre o sacrifício sempre desperta. “Se não vigiarmos, não damos a devida atenção que nosso sacrifício deve ser constante. O ‘ouro’ nunca pode ser o foco. O Altar é o mais importante”, destacou Joelson.


UNIgrejas
Aproveitando a oportunidade, o Bispo Eduardo Bravo, responsável pelas Relações Institucionais da Universal,  anunciou uma novidade em prol desse diálogo e cooperação entre as diversas denominações evangélicas no Brasil: o projeto UNIgrejas e a FIPEB – Federação das Igrejas e Pastores Evangélicos do Brasil.
“Vamos colocar à disposição das demais igrejas aquilo que Deus tem nos dado”, informou o Bispo Eduardo, a respeito do projeto que visa colaborar com o desenvolvimento das igrejas, por meio da troca de aprendizado, estudos de capacitação teológica, acompanhamento matrimonial e familiar, aconselhamento jurídico, entre outros.
“Queremos que não sejamos apenas 60 milhões de pessoas no Brasil com o rótulo de evangélicos. Mas que venhamos crescer em qualidade de vida espiritual, para nos tornarmos referência entre as nações”, explicou.

Confira abaixo a galeria com fotos do evento:




Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

terça-feira, 10 de abril de 2018

Assentar-se primeiro para calcular

Só há uma maneira de conseguirmos aquilo que foge do nosso alcance: se estivermos aliados a Deus. E também só existe uma maneira de estarmos aliados a Deus: se manifestarmos a Fé consciente nEle e em Sua Palavra. O impossível deixa de ser impossível diante dessa Fé. Outros tipos de crença, religiões e rituais não podem realizar o que ela realiza, visto que não vêm acompanhados de sacrifício, conforme nos aproxima do Altíssimo.
É por esse motivo que, para o impossível acontecer, é imprescindível o exercício dessa Fé, através da renúncia dos próprios pensamentos, a fim de absorver os Pensamentos de Deus. É o sacrifício do mínimo para a conquista do máximo.
E não poderia ser diferente. Somente Deus é capaz de realizar o impossível, mas Ele tem emprestado Seu poder para também realizarmos o impossível para a Sua Glória. Esse poder é o dom da Fé, que vem do ouvir a Sua Palavra, e torna-se eficaz se for colocado em prática corajosamente através de atitudes sacrificiais.
Por isso, só consegue fazer uso desse poder quem verdadeiramente é discípulo dEle. Afinal, “discípulo” é o que recebe instrução de outro e a pratica. É a pessoa que adota uma doutrina, segue as ideias ou imita os exemplos de seu mestre. Portanto, quem quiser adotar os ensinamentos de Jesus como padrão de comportamento, deve renunciar a própria vida. Ele mesmo deixou bem claro que, para ser Seu discípulo, é preciso Lhe obedecer, renunciando a si mesmo e abrindo mão de tudo que este mundo oferece.
E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após Mim não pode ser Meu discípuloLucas 14.27
Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser Meu discípulo.  Lucas 14.33
Não é à toa que Ele aconselha ao que quer segui-lO assentar-se primeiro para calcularse está mesmo disposto a assumir compromisso de obediência até o fim, se conseguirá pagar o preço dessa decisão. Isso é o que se chama de fé consciente, fé racional ou fé inteligente. Essa Fé nos obriga a usar a razão para fazermos a escolha que realmente iremos honrar, sem emoção ou precipitação, uma vez que conhecemos o que ela exige de nós.
O Altíssimo não impõe Sua disciplina a ninguém, mas também não confere Seu Poder a todos. Ele nos deixa cientes de como devemos agir se quisermos esse Poder dentro de nós. É uma proposta que devemos analisar com a mente, não com o coração – porque é um preço a ser pago, não uma graça gratuita.
Bispo Edir Macedo


Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

21º Dia do Jejum de Daniel

Mesmo lugar, mesmo espírito, mesma fé

O que favoreceu o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes?
Todos estavam sob o mesmo telhado e sentados, como se estivessem esperando ser “servidos”.
Sem ansiedade, todos aguardavam.
Paciência, educação, cavalheirismo caracterizavam aquele ambiente de fé.
Ainda que tivessem acesso à tecnologia atual (telefone móvel), ninguém ousaria carregá-lo para aquele Lugar de Fé.
Todos no mesmo lugar. Todos curtindo os mesmos pensamentos. Todos unidos.
Lembra a visão de Davi?
Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! Salmo 133.1
Todos no mesmo lugar significa comunhão, unidade de pensamentos.
Ninguém pensava em si mesmo ou nos próprios interesses;
Afinal, eles só estavam ali por uma razão: aguardando a Promessa do Senhor Jesus.
A “terra” estava pronta para receber a Divina Semente.
Pedras, mato, formigas e tudo o mais que impedia o desenvolvimento da Semente naquela terra já havia sido removido.
Sinceridade, arrependimento, humildade, além da fé, neutralizavam toda e qualquer investida maligna.
Tudo cooperava para o derramamento do Espírito de Jesus.
De repente, veio do céu Um som;
Som como de um vento impetuoso.
Encheu toda a casa em que estavam assentados.
Com certeza, ninguém esperava falar em outras línguas.
Nem imaginava isso.
Mas foi o que aconteceu.
Inesperadamente, aconteceu como sinal do cumprimento da Promessa.
Isso ocorreu porque todos estavam no mesmo lugar e no mesmo espírito e na mesma féentão, todos ficaram cheios do Espírito Santo;
E todos passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.
 Atos 2.4

Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

domingo, 3 de setembro de 2017

20º Dia do Jejum de Daniel - Não tem chororô…

Ter o Espírito de Deus significa ter o Mesmo Espírito que o Senhor Jesus tinha.
Se alguém deseja saber mesmo se tem ou não o Espírito Santo, basta olhar-se no Espelho do Evangelho, isto é, na vida de Jesus e de Seus discípulos.
Por exemplo, você encontra no Novo Testamento, especialmente após a descida do Espírito Santo, algum servo de Deus reclamando, lamentando ou choramingando por sua situação, seus problemas pessoais, sua vida sentimental, familiar ou até mesmo econômica?
Duvido!
Somente os iludidos ou enganados pelos espíritos enganadores vivem a lamentar a má qualidade de vida.
O recebimento do Espírito Santo não significa imunidade de problemas.
Jesus avisou: 
Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em Mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo. João 16.33
Quer dizer, mesmo sendo nascido e cheio do Espírito Santo, Jesus e Seus verdadeiros discípulos tiveram de enfrentar enormes problemas… Mas eles os venciam dia após dia.
Eu não consigo ver nenhum deles murmurando ou reclamando com os outros seus problemas pessoais.
O recebimento do Espírito Santo dá condições de vencer o mundo e não viver num mar de rosas.
Quem foi selado com o Espírito de Deus tem força, poder, vigor espiritual para resistir às tentações, suportar os trancos da vida e permanecer firme até a morte.
O Espírito de Deus não vem para nos dar dom de línguas, mas para capacitar-nos para enfrentar o inferno, o mundo, os inimigos da fé, os falsos irmãos, os hipócritas, as injustiças, as perseguições e tudo o mais sem lamentos, lamúrias, queixumes ou chororô… E, ainda assim, continuar firmes até a morte.

Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

19º Dia do Jejum de Daniel - Eu irei a ela…

A maneira como reagimos aos problemas mostra a nossa condição espiritual e também qual tem sido a nossa prioridade.

Não são as muitas conquistas que nos livrarão das aflições que teremos, mas sim o saber em Quem estamos crendo.
Quando há o batismo com o Espírito Santo, não resta a menor dúvida.
Por isso, não vai ser um problema, por maior que seja, que irá comprometer a nossa Salvação.
Davi era um homem de conquistas e acostumado a vencer sempre.
Um dia, seu filho adoeceu gravemente, e ele buscou a Deus pela criança. Jejuou e passou a noite prostrado em terra, e mesmo assim ela morreu.
Quando ele soube, se levantou, se lavou, se ungiu, e entrou na Casa do Senhor e adorou; e depois se alimentou. Essa maneira de agir, causou espanto aos seus servos, e Davi disse:
Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se o Senhor Se compadecerá de mim, e continuará viva a criança? Porém, agora que é morta, por que jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu IREI a ela, porém ela não voltará para mim. 2 Samuel 12.22,23
A criança estava morta fisicamente, mas viva espiritualmente. Ela estava com Deus.
E Davi estava deixando bem claro que aquela situação não iria comprometer a sua Salvação, porque ele também, um dia, estaria com Deus.
Eu conheci uma senhora que havia perdido o marido, marido esse que ainda que tenha morrido fisicamente, talvez não tenha morrido espiritualmente. Mas a esposa, mesmo viva, estava morta espiritualmente por causa da perda do marido. Ou seja, o marido era tudo para ela, era a sua prioridade.
O filho de Davi era importante, mas não mais importante que a sua Salvação.
Uma vez a Salvação sendo o mais importante para você, nada, absolutamente nada, poderá comprometê-la.

Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

18º Dia do Jejum de Daniel - Em espírito e em verdade


Deus é espírito.
Por conta dessa realidade, Seu Filho Jesus ensina que Ele busca adoradores que O adorem em espírito e em verdade.
Quando diz em espírito, o Senhor elimina qualquer sentimento humano. Ou seja, exclui emoções provocadas pelos cânticos regados ao som dos instrumentos musicais.
Não é que os hinos e a música sagrada sejam maus. Mas, a bem da verdade, enquanto o fiel não nascer do Espírito não estará em condições de adorar em espírito, tampouco em verdade. Como adorar em espírito, se não tem a natureza do Espírito Santo?
Infelizmente, na maioria das vezes, o fiel é tão envolvido pelo apelo emotivo da música que acaba se rendendo aos caprichos do coração.
Deus é espírito. Só o nascido do Espírito Santo é espírito também. Não mais alma vivente, não mais emotivo ou coração de manteiga.
Muitos, no processo de libertação ou de novo nascimento, têm confundido as coisas espirituais com as emocionais. E é justamente aí que os espíritos enganadores operam a ilusão.
Adoração em espírito e em verdade envolve o racional humano, seu intelecto…
Deus é espírito. Significa que Ele é toda a inteligência e sabedoria. Como aceitaria adoração regada de sentimentos puramente humanos?
Jesus fez tantos milagres e arregimentou grandes multidões. Nem por isso foi glorificado. Mas quando alguns gregos quiseram vê-Lo, disse: 
É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem. João 12.23
Por que não havia sido glorificado antes, quando abençoou o povo? Porque sabia que a glória do povo curado era motivada pelos milagres. Não porque Ele era o Filho de Deus.
Já os gregos eram diferentes. Eram inteligentes e queriam VER o Filho de Deus.
O mesmo se dá no meio do povo em geral. Glorificam a Jesus por conta de Seus favores. Não pelo que realizou no Calvário.
Muitos cristãos, apesar da sinceridade, não entenderam que adoração na base da emoção não tem sentido nem qualquer benefício. Antes, abre porta para espíritos enganadores entrarem.
É justamente isso que tem acontecido nestes últimos tempos. A tal de fanerose tem levado muitos a verdadeiras aberrações. Alguns incautos entram em “transe” (possuídos por demônios) e caem no chão como mortos; outros, também possuídos, andam de joelhos alegando serem leões como o Leão da tribo de Judá.
No momento em que o Senhor Deus deveria ser servido com o melhor da adoração, em espírito e em verdade, é o diabo que festeja o recebimento da “glória dos carnais”.
Os espíritos enganadores utilizam os corpos dos incautos para “adorar” na carne (emoção) e na mentira (engano).
Leitor amigo, cuide para não ser enganado.
Pelo amor de nosso Senhor, pela sua Salvação e em o Nome do Senhor Jesus Cristo, nunca oferte a Deus algo que não lhe custe nada.
Adoração em espírito exige uso do espírito humano para o Espírito de Deus. Palavras simples, sinceras e cheias de gratidão, de certeza e de amor verdadeiro. Palavras de reconhecimento de tudo o que Ele fez por você.
Aproveite este domingo e determine, desde já, ir à igreja com sede de adorá-Lo em espírito e em verdade.
Enquanto você lê essa mensagem, o Espírito Santo lhe toca, dando certeza de que vai auxiliá-lo a adorar o Seu Filho em espírito e em verdade.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

17º Dia do Jejum de Daniel - Guiados pelo Seu Espírito


Pois, todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Romanos 8.14
Em outras palavras: filhos de Deus são apenas os guiados pelo Seu Espírito. Quem não é guiado pelo Espírito de Deus não é Seu filho.
Essa palavra não deixa nenhuma margem para discussão. Mas, os filhos do mundo insistem em dizer que todos são filhos de Deus.
Por serem guiados pelo Espírito de Deus, os filhos de Deus têm características próprias dELe. São: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Gálatas 5.22

Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

16º Dia do Jejum de Daniel – 29/08/17



Palavra Amiga 

Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...