Mostrar mensagens com a etiqueta Bispo Marcelo Crivella. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Bispo Marcelo Crivella. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 5 de julho de 2017

segunda-feira, 20 de março de 2017

Marcelo Crivella descobre tumor na próstata, mas não é preocupante


O atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, teve uma notícia não muito boa sobre a sua saúde. Em meio a todos os problemas que o atual prefeito do Rio de Janeiro enfrenta com o município do Rio de Janeiro, Crivella foi diagnosticado com um tumor na próstata.

O diagnostico sobre a saúde de Crivella foi divulgado pela assessoria de imprensa da Prefeitura nesta segunda-feita(20). Marcelo Crivella que tem 59 anos, teve o tumor diagnosticado após um exame, mas o prefeito tem diversas opções de tratamento, não precisando inicialmente de uma cirurgia.
A nota divulgada pela prefeitura comunicou o tumor, mas fez questão de ressaltar que o prefeito está em "perfeita saúde e trabalhando normalmente".

O jornalista Lauro Jardim, do jornal "O Globo", entrevistou Crivella, que contou estar ciente do tumor desde semana passada, após receber o resultado de uma biópsia, que apontou que o tumor tinha o tamanho de 2 milímetros.
Crivella revelou que o caso não tem a necessidade de uma cirurgia, pelo menos por enquanto, onde se tratará com medicamentos. O prefeito também ressaltou que caso precise passar por uma cirurgia, seria algo rápido, de no máximo 90 minutos. 
Informações e fontes "O Globo e UOL".

Obrigado. Volte sempre!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Prefeito Crivella quer morar e realizar cultos semanais no Palácio da Cidade

Prefeito quer realizar cultos semanais no Palácio da Cidade
Marcelo Crivella(PRB -RJ) mudou de ideia quanto ao seu endereço de residência oficial durante o mandato.

Curta o Amigos da Universal no Facebook! 

Apesar de ter dito que continuaria a morar no próprio apartamento, após tomar pose, o prefeito do Rio de Janeiro informa agora que montará residência no Palácio da Cidade, sede da prefeitura da cidade, na Zona Sul.

A mudança, como noticiada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, é inédita, já que todos os antecessores moraram na Gávea Pequena, residência oficial localizada no bairro Alto da Boa Vista.

A assessoria informou que a ideia é evitar qu o prefeito se desloque da Barra até a prefeitura. Segundo o colunista, Crivella também planeja realizar cultos semanais no Palácio da Cidade.

Fonte: noticiasaominuto 

Obrigado. Volte sempre!

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Em Israel, Crivella se reúne com prefeito de Jerusalém e quer trazer ideias para o Rio

O prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella, se reuniu ontem com o prefeito de Jerusalém, Nir Barkat. Crivella pensa em trazer para o Rio ideias adotadas pelo israelense, nos campos da segurança (para a Guarda Municipal) e da educação, como o uso de aplicativos nas escolas municipais.
Também conversaram sobre turismo. O prefeito de Jerusalém contou ao brasileiro que praticamente dobrou o número de visitantes à cidade nos últimos oito anos.
Ao fim do encontro, Crivella, que volta amanhã ao Brasil, recebeu de Barkat um broche de lapela com o brasão de Jerusalém.
Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Fala Que Eu Te Escuto com participação de Crivella Prefeito do Rio

No decorrer da campanha, o relacionamento entre Crivella e a Globo foi bastante turbulento, especialmente no segundo turno. Por considerar a cobertura “manipuladora e tendenciosa”, GLOBO MENTE!



Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

Crivella fala do momento mais difícil no 2º turno: 'Era quando acordava e via manchetes absurdas dos jornais'

Prefeito eleito disse ter sido alvo de ataques de veículos de imprensa

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), disse ter sido alvo de ataques de veículos de imprensa na reta final da campanha. Em entrevista ao BG Geral RJ, Crivella falou sobre o que considerou o momento mais difícil do segundo turno.
— Era quando eu acordava e via as manchetes absurdas dos jornais, um dilúvio, uma coisa absurda.
Ele respondia a pergunta sobre o perfil de seu secretaria, que segundo ele será "ficha limpa", quando comentou o que definiu como "as infâmias que sofri por parte de uma imprensa facciosa, inimiga jurada da minha candidatura por questões mínimas, comerciais, econômicas, que nada tem a ver com a minha carreira pública".
Crivella afirmou que se sentia "revoltado", mas que é preciso superar o que chamou de "maquinações do ódio" e que ele não pode ser "contaminado pela praga maldita da vingança".
Com 100% dos votos apurados, Crivella somou 59,36% (1.700.030 votos) dos votos válidos contra 40,64% de Freixo (1.163.662). Foram contabilizados 26,85% de abstenções (1.314.950), 4,18% de brancos (149.866) e 15,9% de nulos (569.536).
Crivella ainda pediu uma chance aos moradores do Rio que não votaram nele e reiterou que foi candidato a prefeito, dizendo que "perfeito, só Deus".
— Gostaria que [quem não votou em mim] analisasse o novo governo e nos desse uma chance de fazer as políticas públicas que nos propusemos a fazer antes de criticar a priori, espera para criticar a posteriori.
Assista à entrevista completa:

Curta o Amigos da Universal no Facebook! Obrigado. Volte sempre!

segunda-feira, 22 de julho de 2013

CLIP-Desintoxicação Filho De Deus - Marcelo Crivella


 
Como era triste a minha vida
Levado pelo vento
Uma folha caida
Debrucado na janela
Olhar perdido no horizonte
Minha vida entardecia
Como o sol que se escondia
Atras do monte

Na noite fria
E sentindo solidao
Com lagrimas nos olhos
Fiz a Deus uma oracao
Palavras simples minha dor
Do fundo do meu coracao
Nem podia imaginar
Que eu iria encontrar
Na minha dor

Desde entao em minha vida
Nem um dia se passou
Que eu deixasse de pensar
Como eu amo o meu senhor

Filho de Deus
Filho de Deus
O meu coracao
E teu santuario
Lavado no sangue
Da cruz do calvario

Filho de Deus
Filho de Deus
O meu coracao
E teu santuario
Lavado no sangue
Do meu salvador
compositor - Bispo Marcelo Crivella
Blog Amigos da Universal! FACEBOOK

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Marcha Para Jesus 2012 Em São Paulo Reuniu Mais de Um Milhão De Participantes

Em São Paulo Reuniu Mais de Um Milhão De Participantes A vigésima edição da Marcha para Jesus de São Paulo, como ocorreu no ano passado, reuniu, neste sábado (14/07) de sol, 1 milhão de fiéis e convidados que participaram para adorar Jesus, conforme informou a Policia Militar. Às 14h, de acordo com os organizadores, o evento chegou à praça Campo de Bagatelle, na zona norte da capital, local em que ocorreu, até o fim do dia, uma série de shows de música gospel. Muita oração e testemunhos de Fé dos participantes na pessoa do Senhor Jesus marcaram o dia da 20ª Marcha para Jesus em São Paulo desde a abertura da Marcha, que teve no seu início uma oração de agradecimento e pedindo a proteção e as bençãos do Senhor sobre o evento pelos pastores presentes na liderança do Apóstolo Hernandes, o evento contou com a presença do Prefeito de São Paulo Gilberto Kassab. O evento teve 15 carros de som e, até o fim da noite, foram 34 shows musicais de artistas e bandas no palco montado na praça Heróis da Força Expedicionária. Com o lema “Reinando com Jesus”, a edição 2012 da marcha também é Igrejas evangélicas de todo o país participaram da ocasião. Mais de 170 países acompanham o evento que tem como lema: Reinando com Jesus. As apresentações começaram pouco antes das 12h e foi até as 21h30. Entre os artistas que se apresentaram estão Aline Barros, Diante Do Trono, Thalles Roberto, Cassiane, Jamily, André Valadão, Kleber Lucas, Eyshila, Lázaro, Soraya Moraes, Regis Danese, Fernanda Brum, Bruna Karla, Davi Sacer, Asaph Borba, Ao Cubo, Renascer Praise, Jotta A, DJ Alpiste, Mariana Valadão, Lauriete, Tempero Do Mundo,Carlinos Félix, Liz Lanne, Talita Pagliarin, Scooby, Katsbarnea, Banda Inesquecível, Asaph Hernandes, Banda Baque, Onix 46, Banda Dopa, Pedras Vivas, Som E Louvor. Apesar da Marcha ter causado certa lentidão até as 12h30, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) informou que o trânsito melhorou por volta das 15h50 deste sábado, a zona norte, onde ocorreu a série de shows do evento, apresentou o maior índice de lentidão, com 8 km de vias congestionadas, representando 49% do total registrado na capital. A caminhada e um acidente na marginal Tietê causaram reflexo no trânsito da cidade por volta das 12h30, quando a CET registrava, um total de 44 km de congestionamento. Fonte: R7

domingo, 18 de dezembro de 2011

CLIP VÍDEO JEJUM DE DANIEL 02 Desintoxicação

Clips do Jejum de Daniel 02 (Desintoxicação) Boa Meditação!
 Canção - Bispo Macelo Crivela


Obrigado pela seu Comentario!

sábado, 18 de setembro de 2010

O Nascimento da IURD – por Marcelo Crivella

Enviar para um amigo Imprimir este artigo

Sim, esse texto é um pouco longo. Mas é leitura obrigatória para todos os que gostariam de saber como e porquê nasceu a Igreja Universal do Reino de Deus — por uma testemunha ocular.
Se não puder ler agora, marque essa página para ler depois. Vale a pena.
Boa leitura.

Fé, revolta e sacrifício são a essência da vida com Deus. Fé lembra o profeta Habacuque e sua época em que Jerusalém estava cercada por Nabucodonosor e a destruição era eminente. Seu livro tem apenas três capítulos e começa com uma pergunta: Por que?
E quem de nós, pelo menos uma vez na vida, também não perguntou ‘por que?’ Por que uma criança nasce com defeito? Por que um raio cai do céu e destrói a casa de um pobre? Por que uma bala perdida numa comunidade carente mata uma criança inocente? Por que?
E Habacuque nas suas reflexões, no profundo do seu coração, cunhou uma sentença bela e estupenda que só podia vir de Deus: “O meu justo viverá pela sua fé”. Mais não se podia dizer.
Em um mundo injusto com tantas desigualdades, só a fé é capaz de garantir a vida. Sem ela somos atormentados por dúvidas e temores, hesitantes,  um sal sem sabor; uma nuvem sem água, vagando pelos céus; uma onda do mar levada pelos ventos; um morto vivo.
Naturalmente a fé causa uma revolta contra isso tudo e constrói com sacrifício a vitória derradeira. Esse caminho estreito e apertado foi o que Deus traçou para o surgimento da Igreja Universal.
O bispo Macedo quando jovem, frequentou uma igreja evangélica na Zona Sul, por cerca de dez anos. Seu desejo era pregar, mas  os líderes não viam nele qualquer virtude ou talento, qualquer expressão que chamasse a atenção. Nem sequer teve a oportunidade de servir como obreiro. Dez anos não são dez dias. Outro teria desistido. Outro teria desanimado. Não ele. E a razão era a fé.
Movido pelo desejo de servir a Deus, ele e dois amigos, vieram para uma igreja no subúrbio. Eu era apenas um menino nessa ocasião, mas recordo que lá também o pastor fez a mesma avaliação. Passado algum tempo, consagrou os outros, mas não o bispo. Mais uma vez ele era colocado de lado, excluído, diminuído, enfrentava o preconceito, o desalento e a frustração. Outro teria desanimado. Outro teria, desistido.
Um dia estava almoçando na casa da minha vó, quando ele entrou. E me permita aqui quebrar de leve o protocolo para fazer uma pequena lembrança, uma honrosa menção àquela senhora extraordinária. Um inesquecível exemplo de renúncia, dedicação e amor.
O bispo vinha avisar que deixaria o emprego para pregar o evangelho. Ele já era casado, tinha uma filha e a esposa estava grávida do segundo. Um gesto de  fé  extrema para quem era desacreditado por todos. Para uma família humilde como a nossa, um emprego público, como o dele,  representava a garantia de uma vida livre do desemprego.
Ela apenas ponderou: “Não deixe de pagar o instituto,  para garantir a aposentadoria quando envelhecer”
Quando assisto essa orgia histérica dos  insultos mais torpes, esse ódio neurótico, essa perseguição implacável, esse dilúvio de injurias, infâmias e calúnias contra o bispo e a igreja, capazes que são de publicar com a mais equivocada convicção o maior dos enganos,  a tese transloucada de que ele engendrou uma fórmula para explorar os pobres, lamento com profunda amargura. Certamente não conhecem a Igreja Universal, quem somos, de onde viemos.
Pode ser que em alguma de nossas igrejas, seja no Brasil, na África, na Europa, na Ásia ou em qualquer parte do mundo, alguém, algum dia, tenha colocado sobre o altar um sacrifício tão grande quanto o dele, maior não. Ele ofereceu tudo que tinha, o próprio emprego sem qualquer garantia, sem qualquer esperança, senão por fé.
Passado um mês,  nasce sua segunda filha e fui pela manhã visitá-la no hospital do IASERJ. Ela havia nascido com lábio leporino e bebês assim, são magrinhos, com olheiras, com o rosto deformado, uma ferida aberta na boca, sem uma parte dos lábios, com uma fenda no céu da boca o que torna impossível  a amamentação, pois não conseguem fazer sucção, engasgam e padecem muito. Foram dias, meses, anos de um sofrimento atroz.
No caminho de volta, da praça da Cruz Vermelha até o Largo da Glória, caminhando ao longo da rua do Riachuelo, cada passo era uma lágrima. Como Habacuque eu perguntava: por que? Por que um homem pobre, mas dizimista fiel, no momento supremo da sua existência, quando resolve deixar seu emprego, seu sustento, seu ganha pão, para pregar a Palavra, recebe como prêmio um castigo e dos piores, porque eu não sei se há dor maior do que um pai ir ao berçário de um hospital, apenas para ver, apenas para constatar, que sua filha é a única enferma, a única ferida, frágil, sofrendo e chorando, enquanto a dos outros são tão bonitas.
E como sempre, nos momentos graves, minha família se reuniu na casa da minha vó. À tarde ele chega. Estava, naturalmente, muito triste, mas disse duas coisas que guardei. A primeira: “Eu vou gostar mais dela   do que da outra .”
A outra, a quem se referia, era sua primeira filha, uma criança muito formosa. Não creio ser possível gostar mais de um filho que do outro, mas havia um significado mais profundo naquela expressão. Era muito mais que um pai tentando compensar, proteger, extravasar sua dor.
Mais tarde verifiquei que a essência daquelas palavras iria se refletir no surgimento e na atuação da Igreja Universal   que  é decididamente vocacionada a gostar mais do que sofre, do aflito e do necessitado. E logo se começa a buscar as almas perdidas nas encruzilhadas, nas favelas, nos terreiros, nos manicômios, nas catacumbas dos vícios, na miséria  das drogas, na falência dos lares destruídos. E salões, galpões,  cinemas começam a encher com enfermos,  pobres, desempregados, aflitos, endemoniados em busca de alívio e libertação. O povo que andava em trevas viu uma grande luz.
A segunda coisa que  disse  foi: “eu não vou ficar com raiva de Deus. Vou ficar com raiva do diabo. Agora mesmo é que eu vou invadir o inferno para resgatar as almas perdidas.”
Ali já não era mais um rapaz qualquer, obscuro e anônimo. Ali nascia um líder.  Nascia também um povo capaz de enfrentar os maiores desafios, as perseguições mais duras e virulentas.  De fibra  e força que não recua, que não se agacha, que não foge da luta nem teme o sacrifício.  Um povo com  o olhar cravado nas promessas de Deus para rasgar nos horizontes a perspectiva iluminada do seu destino, determinado, forjado, selado  pela fé em Deus. E isso porque no momento mais difícil, mais cruel, mais duro, um justo viveu pela sua fé!
A Igreja Universal não surgiu com a deliberação de uma assembléia de homens ilustres, ou de um conselho diretor ou de uma fundação de notáveis. Nem tão pouco foi subsidiada, patrocinada, bancada por recursos do governo ou de um milionário caridoso. Essa igreja é a resposta simples, direta e fiel de um Deus que honra a fé, a revolta e o sacrifício.
A frase, “eu não vou ficar com raiva de Deus. Eu vou ficar com raiva do diabo”, marca a revolta da fé. Se ficasse com raiva de Deus seria a rebelião e o resultado, um oceano de fracasso, um Himalaia de frustração. Os rebeldes culpam a Deus pelos infortúnios da vida. A rebeldia tem formas distintas e sutis de se manifestar. Alguns rebeldes afrontam os mandamentos desafiando a Deus com seus pecados e crimes. Outros manifestam uma indiferença fria e distante com as coisas de Deus, fazendo da própria vida um imenso desperdício de tempo e uma triste história de mediocridade. Há também os fariseus que são os rebeldes de igreja que conhecem a palavra mas não as praticam.
Abraão foi revoltado quando vagava no deserto esperando a promessa que demorava a chegar. No entanto, nunca  se rebelou. Moisés se revoltou com a escravidão do seu povo como Josué se revoltou quando na terra prometida encontrou muralhas e gigantes. Mas não foram rebeldes. Davi se revoltou contra as afrontas do Golias. Jó, o mais revoltado de todos que  no ápice do seu sofrimento amaldiçoou o dia em que nasceu, jamais se rebelou. Ele continua  a ser, através dos tempos, o mais veemente exemplo do que um homem é capaz de suportar e vencer quando movido por sua fé.  E foi no seu sacrifício que Deus lhe restituiu sete vezes mais.
A vida do justo não é a vida do convento, do mosteiro no alto do monte, da santidade absoluta. É a vida da fé, das lutas do dia a dia na planície da vida. Com suas virtudes e defeitos, injustiçado e perseguido, como ovelha entre lobos, que às vezes chora mas sabe que será consolado, que tem sede e fome de justiça e crê que será saciado. Gente simples e humilde com todas as veras da sua alma. Que põe a mão no arado e não olha para trás, custe o que custar, doe o que doer.  Que não se apequena,  que não se acovarda. Filhos da fé, da revolta e do sacrifício.
Esteja certo. Deus vê/ o que você tem passado/ perseguido, injustiçado/ um sufoco desgraçado/  Deus vê/ o seu rosto amargurado/ tantos planos fracassados/ tantas noites acordado. Mas o que Deus precisa ver/ é a revolta em seu olhar/ é a vontade de lutar/ e ser abençoado.  A fé vem pelo ouvir/ mas o agir pela revolta. Sem luta não há vitória/ sem obras a fé é morta. É tempo de se revoltar/ é tempo de agir a fé/ construir os nossos sonhos/ ou Deus é ou não é. É tempo de serevoltar/ é tempo de agir a fé. É tempo de Deus ver/ que covarde você não é.
Marcelo Crivella
marcelocrivella.com.br
Obrigado pela sua VISITA!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

A esperteza da mulher



A Bíblia está cheia de momentos dramáticos envolvendo a sagacidade das mulheres e a capacidade que elas têm de enganar os homens. É o caso de Eva, Dalila e a rainha de Sabá, entre outras.

Em Provérbios 5.3-4, por exemplo, o rei Salomão, que teve uma vasta experiência com o sexo feminino, deixou o seguinte alerta:

“Porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite; mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes.”

A própria história da humanidade está recheada de citações nas quais mulheres teriam sido pivôs de determinados episódios. Grandes reis, presidentes, militares, políticos e autoridades em geral, caíram por terem se deixado envolver por elas. Não é à toa que russos e alemães se utilizaram muito do sexo feminino no trabalho de espionagem. Nem mesmo alguns governantes brasileiros – não convém citar nomes – escaparam delas e acabaram sendo depostos.

Existe uma história que retrata bem esse lado astuto e sagaz das mulheres.

Um homem e uma mulher se envolveram num acidente de carro. Apesar dos veículos terem sido destruídos, eles não sofreram nenhum ferimento grave. Saíram ilesos. Vendo que o motorista do outro veículo era do sexo oposto, a mulher disse:

— Veja só, você é homem, e eu, mulher. Saímos ilesos deste terrível acidente. Isso só pode ser um sinal de Deus para ficarmos juntos por toda a vida. Perplexo diante de tal declaração e da beleza escultural da jovem, o rapaz imediatamente respondeu:

— Concordo. Isso só pode ser um sinal divino.

— Veja outro milagre — disse ela, apontando para o seu automóvel. — O carro foi destruído, mas aquela garrafa de champanhe ficou intacta. Deve ser outro sinal. Vamos beber para comemorar este momento.

O rapaz abriu a garrafa e deu um gole no gargalo. Ao oferecer para a mulher, ela o incentivou:

— Beba mais. Vá bebendo.

E assim o rapaz fez. Quando devolvia a garrafa, ela insistia:

— Continue bebendo. Percebi que você gosta de champanhe. Beba mais.

Depois de ter bebido metade da garrafa, o rapaz, já meio zonzo, devolveu-a para a mulher. Esta, por sua vez, tampou a garrafa e a guardou.

Estranhando sua atitude, ele perguntou:

— Você não vai beber?
— Não. Vou esperar a polícia chegar com o bafômetro!

Ora, tenho visto pastores fracassarem no ministério porque casaram mal. Na realidade, consideraram como um sinal divino verdadeiros acidentes, tragédias do destino, que nada tinham de Deus, e acabaram como o rapaz da história, vítimas de uma mulher esperta, que se valeu da situação para tirar proveito próprio.
O casamento do cristão é muito importante. Tenha muito cuidado na hora da escolha, porque senão, como na história, você vai acabar levando a culpa.

Autor: Bispo Marcelo Crivella

sexta-feira, 22 de maio de 2009

A esperteza da mulher


A esperteza da mulher

A Bíblia está cheia de momentos dramáticos envolvendo a sagacidade das mulheres e a capacidade que elas têm de enganar os homens. É o caso de Eva, Dalila e a rainha de Sabá, entre outras.

Em Provérbios 5.3-4, por exemplo, o rei Salomão, que teve uma vasta experiência com o sexo feminino, deixou o seguinte alerta:

“Porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite; mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes.”

A própria história da humanidade está recheada de citações nas quais mulheres teriam sido pivôs de determinados episódios. Grandes reis, presidentes, militares, políticos e autoridades em geral, caíram por terem se deixado envolver por elas. Não é à toa que russos e alemães se utilizaram muito do sexo feminino no trabalho de espionagem. Nem mesmo alguns governantes brasileiros – não convém citar nomes – escaparam delas e acabaram sendo depostos.

Existe uma história que retrata bem esse lado astuto e sagaz das mulheres.

Um homem e uma mulher se envolveram num acidente de carro. Apesar dos veículos terem sido destruídos, eles não sofreram nenhum ferimento grave. Saíram ilesos. Vendo que o motorista do outro veículo era do sexo oposto, a mulher disse:

— Veja só, você é homem, e eu, mulher. Saímos ilesos deste terrível acidente. Isso só pode ser um sinal de Deus para ficarmos juntos por toda a vida. Perplexo diante de tal declaração e da beleza escultural da jovem, o rapaz imediatamente respondeu:

— Concordo. Isso só pode ser um sinal divino.

— Veja outro milagre — disse ela, apontando para o seu automóvel. — O carro foi destruído, mas aquela garrafa de champanhe ficou intacta. Deve ser outro sinal. Vamos beber para comemorar este momento.

O rapaz abriu a garrafa e deu um gole no gargalo. Ao oferecer para a mulher, ela o incentivou:

— Beba mais. Vá bebendo.

E assim o rapaz fez. Quando devolvia a garrafa, ela insistia:

— Continue bebendo. Percebi que você gosta de champanhe. Beba mais.

Depois de ter bebido metade da garrafa, o rapaz, já meio zonzo, devolveu-a para a mulher. Esta, por sua vez, tampou a garrafa e a guardou.

Estranhando sua atitude, ele perguntou:

— Você não vai beber?
— Não. Vou esperar a polícia chegar com o bafômetro!

Ora, tenho visto pastores fracassarem no ministério porque casaram mal. Na realidade, consideraram como um sinal divino verdadeiros acidentes, tragédias do destino, que nada tinham de Deus, e acabaram como o rapaz da história, vítimas de uma mulher esperta, que se valeu da situação para tirar proveito próprio.
O casamento do cristão é muito importante. Tenha muito cuidado na hora da escolha, porque senão, como na história, você vai acabar levando a culpa.

Autor: Bispo Marcelo Crivella
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...